segunda-feira, 30 de maio de 2016

Algumas opiniões continuam valendo muito. Outras? Bom, eu não lembro de ter pedido




 Arte de Angela Lergo

"Teve uma época que eu me importei muito. Sei lá, parecia que não conseguia viver sem ter aquela política de boa vizinhança e sendo gente boa com todo mundo. O que os outros pensavam me incomodava...

É aquilo de você querer ser aceito, sabe? Então. Depois, vi que tentando ser assim com muita gente, você não é totalmente verdadeiro com ninguém. Não querer machucar ninguém acabava me machucando.

Simplesmente parei de dar tanto valor assim. Algumas opiniões continuam valendo muito. Outras? Bom, eu não lembro de ter pedido."
 

Gustavo Lacombe

domingo, 29 de maio de 2016

Pessoas quese conformam em levar uma existência sem graça num mundo falso e pequeno. Pergunto-me algumas vezes se elas estão de fato vivas.


Arte de Budai Laszlo
Chega um momento da vida em que entramos na famosa terceira idade. Você já pensou quais são os seus projetos de vida? Como deseja estar daqui a cinco, dez, vinte anos ou mais? Em geral não nos fazemos essas e outras questões.
  Tenho deparado com inúmeras pessoas tristes, não realizadas, infelizes. Pessoas que se colocam em um beco sem saída, que se conformam em levar uma existência sem graça num mundo falso e pequeno. Pergunto-me algumas vezes se elas estão de fato vivas.

Viver é muito mais do que estar vivo e ter uma família, um emprego, uma rotina. Viver é um processo constante de vir a ser, uma invenção a cada dia. Um eterno se reinventar. Viver é um ato de ambição e coragem. É ter o direito de sair da plateia e virar protagonista desse espetáculo que é a vida, com seus amores, cores e dores.

Viver é colocar um pouco de expectativa em seus pensamentos e ações, dar corpo às suas ideias, transformar fantasias em realidade. Buscar o que lhe falta sem esperar que lhe caia nas mãos.

Viver implica correr riscos e encarar as mudanças sem esperar que o outro mude. É enfrentar os medos, conhecer a sombra, saber cair e levantar-se. Assumir a responsabilidade sobre seus atos, escutar atentamente o que suas emoções querem lhe dizer antes de racionalizá-las. Quem se acomoda diante das dificuldades ou foge dos seus medos não sabe o que é viver.

É comum as pessoas, principalmente os jovens, buscarem o sentido da vida. Para mim, é vive-la, pois só depois disso você terá a resposta.

Digo que eu tenho várias idades, pois elas dependem das pessoas com as quais estou – e trato cada uma de forma diferente. Assim, respeito os meus filhos e noras como eles são, e cada neto é tratado de forma diferente.

Quando você olha para o mundo e percebe que tudo e todos estão errados e quer impor a sua maneira de agir e pensar, é hora de parar para avaliar se você não está andando na contramão do fluxo vital.

Elizabeth Monteiro

Esse papo de “que saudades de você, vamos nos ver uma hora” é politicagem. Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir.


Arte de Grzegorz Ptak

Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim, que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. É chocante e libertador – ninguém precisa de você pra seguir vivendo. 

Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua empregada, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo – novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso. É preciso ir embora.

Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora – apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversario, você estando aqui ou na Austrália. 

Esse papo de “que saudades de você, vamos nos ver uma hora” é politicagem. Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir. E não se preocupe, pois o filtro é natural. Vai ter sempre aquele seleto e especial grupo que vai terminar a frase “Que saudade de você…” com “por isso tô te mandando esse áudio”; ou “porque tá tocando a nossa música” ou “então comprei uma passagem” ou ainda “desce agora que tô passando aí”.

Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém. Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião.

As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir. Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas." 


Antônia Macchi

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Medo, quão horrorosa é essa carga.




Arte de Bec Winnel

Na estrada da Vida, a coisa mais pesada que carregamos em nós chama-se Medo. Mas a maioria parece que nem percebe o quão horrorosa é essa carga. E então — pouco a pouco — vai se vergando, vergando, vergando...

Edson Marques

terça-feira, 24 de maio de 2016

Por melhor e mais bonito que seja o caminho, hora ou outra sofreremos alguma dor




Arte de Christie Repasy 


Até quando se caminha sobre rosas há o risco de ferir-se, pisando num espinho. Por melhor e mais bonito que seja o caminho, hora ou outra sofreremos alguma dor. O importante é não esquecer das rosas. 

Lucas Lujan

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Comerciante das próprias emoções — já não brinca, vive correndo, ama com pressa

 
 
Arte de Erick Jones
 
 
A vida tem dois caminhos:


Ou você segue o caminho da Tristeza,
arma-se de medo, de ciúmes e de falsas alegrias,
arma-se de angústia, fecha os olhos, se acomoda,
e segue o rebanho dos que não sabem;
obedece a regras injustas, não reage, não questiona,
não se aprimora, não lê, não significa,
nem percebe o absurdo em que se mete.
Vende a própria natureza
por duas ou três moedas de aço,
troca a inocência pela responsabilidade apressada,
torna-se respeitável aos olhos da sociedade,
cumpre horários, nunca tem tempo,
preocupa-se com coisas banais.
Comerciante das próprias emoções — já não brinca,
vive correndo, ama com pressa,
esquece-se da lua,
e se torna uma pessoa média, mediana, medíocre,
pequena, cansada e normal...


Ou você escolhe o caminho da Ousadia,
compreende, se aprofunda, vai mais longe, realiza,
respeita o ser humano que existe em você mesmo,
resgata a própria vida e o sorriso,
rompe de vez com o passado agonizante,
procura defender a verdade, a justiça e a poesia,
acorda e assopra o fogo da alma que dormia,
ultrapassa os limites que sufocam,
cavalga o cavalo negro, cego e alado
das paixões gostosas e sublimes,
enche o peito de coragem, corações e relâmpagos,
acende de novo esse vulcão que é o teu corpo,
deixa a própria cabeça plena de agora,
de ternura e de vertigem,
e parte em busca de Aventura, de Amor e Liberdade.


É uma simples questão de escolha.
 
 
Edson Marques