quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Quando você se for, o que vai deixar?


 Arte de Mark Braithwaite York


"Eu não estou preocupado com a morte, mas com a vida, para que ela não seja banal e fútil. Quando você se for, o que vai deixar? "

Mário Sérgio Cortella.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

coisa de gente grande



 Arte de Giuseppe Pecoraro


"Penso também outra coisa de gente grande: não adianta muito você se enfeitar todo pra uma pessoa gostar mais de você. Porque, se ela gostar, vai gostar de qualquer jeito, do jeito que você é mesmo, sem brilhos falsos."

Caio Fernando Abreu

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Tempo Submissa, faço-lhe reverência






Arte de Ivan Braginski

"O tempo me puxa pelo braço, incisivo como uma lei. Submissa, faço-lhe reverência, pois só ele sabe o caminho, só ele detém o poder de transformar o impossível em possível e mostrar a verdade de todas as coisas. A ele obedeço, pois é o senhor do meu destino e o verdadeiro autor da história que escrevo."

Aíla Sampaio

Nem sempre quero ir para onde o destino me leva.

 
 
Arte de  Marie Desbons
 
 
"O destino conduz os que querem ser conduzidos e arrasta os que não querem. Eu tenho andado mais ou menos de arrasto. Nem sempre quero ir para onde o destino me leva."
 
Érico Verissímo

domingo, 14 de dezembro de 2014

não devemos matar um leão por dia, mas sim cuidar do nosso.




Arte de Odwin Rensen

 
"(...) aprendi que somos o resultado de nossos desafios. Com grandes desafios, nos tornamos grandes. Com pequenos desafios, nos tornamos pequenos. Aprendi que, quanto mais bravo o leão, mais gratos temos de ser.
Por isso, aprendi a não só respeitar o leão, mas a admirá-lo e a gostar dele. Que a metáfora é importante, mas errônea: não devemos matar um leão por dia, mas sim cuidar do nosso. Porque o dia em que o leão em nossas vidas morre, começamos a morrer junto com ele.”


http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/41427_CUIDE+BEM+DO+SEU+LEAO 

se você não parar de vez em quando...




Arte de  Janet Hill

"A vida passa rápido demais
E se você não parar de vez em quando para vivê-la,
Acaba perdendo seu tempo."


Ferris Bueller - filme 'Curtindo a vida adoidado"

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

saudade é uma lembrança que alegra



Arte de Alan Rauch


"Na vida, nós devemos ter raízes, e não âncoras. Raiz alimenta, âncora imobiliza. Quem tem âncoras vive apenas a nostalgia e não a saudade. Nostalgia é uma lembrança que dói, saudade é uma lembrança que alegra"

Mario Sergio Cortella

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Imagine. Invente. Sonhe. Voe.




Arte de Iovka Mechkarova

"Tente. Sei lá, tem sempre um pôr-do-sol esperando para ser visto, uma árvore, um pássaro, um rio, uma nuvem. Pelo menos sorria, procure sentir amor. Imagine. Invente. Sonhe. Voe. Se a realidade te alimenta com merda, meu irmão, a mente pode te alimentar com flores. Eu não estou fazendo nada de errado. Só estou tentando deixar as coisas um pouco mais bonitas."

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

É justo o meu sonho, sem contudo desmerecer o sonho do outro.






Arte de Brita Seifert

 
Obrigatoriedades

"Tenho o direito de usufruir da felicidade, mas isso não valida minha atitude de descaso para com a tristeza do outro. 

Tenho o direito de conferir minhas verdades, mas não posso duvidar da verdade do outro. Posso opinar, escolher, repetir trajetos, mas não tenho o direito de decidir sobre o caminho dos amigos. 

Tenho o direito de consumir ternuras, mas se o outro amargura não é meu legado promover sua cura. Usufruo da condição de andar pacificamente, mas não é legítimo interferir nas relações conflituosas de quem assim decide viver. Tenho o direito de fazer minhas invencionices sobre os sentimentos, mas não convém duvidar do afeto do outro. 

Tenho o direito de vivenciar a liberdade, sem com isso aprisionar o outro. Disponho de minhas estratégias de sobrevivências, mas preciso respeitar as escolhas estranhas do próximo. 

Tenho o direito de desfazer um combinado, usando de sinceridade, mas não preciso ser desleal. 

Tenho o direito de angariar simpatia, mas não posso representar um sentimento que não possuo. Tenho o direito de ser mandatária do meu destino, mas não posso obrigar alguém a fazer minhas escolhas em nome de sentimentos recíprocos. Tenho as rédeas de minha vida e da história do outro, só posso ser coadjuvante se ele assim o permitir.

Tenho o direito da comoção, sem querer ser guardiã da humanidade. 

Tenho o direito de escolher minhas crenças sem impor religiosidade aos outros.

Posso discordar, mas não guerrear

Posso mudar, mas não exigir isso do outro.

Posso privilegiar-me da espiritualidade, sem precisar alardear o mundo.

Posso renunciar, sem o prejuízo da renúncia onerar o outro.

É justo o meu sonho, sem contudo desmerecer o sonho do outro.

Posso não saber toda verdade, sem me apropriar das dúvidas que não me pertencem.

Devo amar, sem esperar que a troca seja obrigatória."
  
Ita Portugal

o essencial é gratuito e dinheiro não compra.



Arte de Oleg Oprisco

 "(...) Meu caro, há alguns cenários possíveis. Nenhum deles é perfeito e a escolha depende da quantidade de amor que você tiver para gastar – lembrando, é claro, que essa commodity anda em falta no mercado. E desconfio que é por isso que as pessoas se preocupam tanto com presentes – o essencial é gratuito e dinheiro não compra."

Leonardo Sakamoto