quarta-feira, 30 de julho de 2014

Casar leva umas horas. Morar junto leva tempo. O tempo todo.



Arte de Grzegorz Ptak


CASAR E MORAR JUNTO


Casar e morar junto são duas coisas completamente diferentes. Não tem nada a ver com seu status no cartório. Tem a ver com entrega.


Você pode casar com todas as honras. Dar uma festa linda. Gastar os tubos na Lua de Mel. Se mudar com o marido para um apartamento lindo. pronto. decorado. cheio de almofadas em cima da cama… Vocês podem ter se casado – mas vão demorar muito pra saber o que é morar junto. Acho que existem casais que se casam com pompas, e nunca talvez tenham realmente morado juntos.


Morar junto é saber dividir. Saber cobrar. Saber ceder. Saber doar.


Morar junto é dividir as contas e as almas.


Morar junto é ter um pilha de louça pra lavar, depois de um dia terrível de 10 horas de trabalho. E o outro cantar com você para que, em um karaokê com detergente, o trabalho se torne divertido.


Morar junto é ter que assistir Homem Aranha no Telecine Action, e se esforçar para achar legal.


Morar junto é tomar banho junto.Transformar o chuveiro em uma cachoeira. (e o banheiro em um charco)

Morar junto é ouvir onde dói no outro. Do que ele sente medo. Onde ele é criança. O que o deixa frágil.


Morar junto é poder chorar sem parar. E ser ouvida. E cuidada. Mas é também rir. E achar graça em alguma coisa, quando o outro está pra baixo.


Morar junto é fazer contabilidade de frustrações, e saber quando não colocar na conta do outro.


Morar junto é demorar para levantar.


Morar junto não precisa de uma casa, e sim de um espaço.


Quem mora junto geralmente é solidário. Casar não. Qualquer um casa. Pra casar basta assinatura e champanhe. Casar leva umas horas. Morar junto leva tempo. O tempo todo.

Quando moramos juntos vemos o cabelo dele crescer e ela cortar uma franja.


Quando moramos juntos viramos adultos aos pouquinhos, dando um adeus doído ao adolescente que éramos.


Quando moramos junto mudamos junto. E o outro vira um outro diferente com os anos. E nós vamos aprendendo a amar aquela nova pessoa, todo dia.


Até o dia que, talvez, deixemos de morar juntos. 



Roberta Nader

terça-feira, 29 de julho de 2014

O coração da gente gosta de atenção. De cuidados cotidianos. De mimos repentinos.





Valentin Rekunenko

"Há momentos em que tudo o que a gente precisa é dar colo para o próprio coração. Aconchegá-lo. Deixar que perceba que naquele instante todas as outras coisas podem nos esperar um pouco; ele, não. Ele é o nosso rei e o nosso reino. O papel para desenho e a caixa de lápis de cor. A música e a orquestra. Nossa bússola e nosso mar. A flor, o pólen, a borboleta, ao mesmo tempo. A colméia e o mel. O centro onde tudo principia e para o qual tudo converge. Ele não pode esperar."

Ana Jácomo

segunda-feira, 28 de julho de 2014

abrir espaço para a resposta


Arte de Alexandre Monntoya


"Tentar deixar a pergunta dormir um pouco pode ser a melhor maneira de abrir espaço para a resposta acordar.” 

Ana Jácomo.

Onde você acredita que vai encontrar bondade, talvez encontre o mal também.




Arte de Kiéra Malone

 “Como seu pai, você abomina injustiças e adota a igualdade. Mas tenha cuidado, minha Anni, pois os humanos são complicados e suas almas geralmente têm muitas camadas. Onde você acredita que vai encontrar bondade, talvez encontre o mal também. E onde você enxerga apenas o mal, talvez haja algo de bom.”

Lucinda Riley in: “A Rosa da Meia-Noite.”

protege os teus sonhos de menino


Arte de Susan Rios

"quebre a cara
quebre a regra
canse o corpo
dome o tempo
dobre a noite
rompa as madrugadas
mas não deixe quebrar
nunca
a casca que protege
os teus sonhos
de menino"

Ademir Antonio Bacca

domingo, 27 de julho de 2014

a vida é um espetáculo: para os que se comportam bem, o sistema promete uma boa poltrona.



Arte de Elina Ellis 

O sistema/1

Os funcionários não funcionam.
Os políticos falam mas não dizem.
Os votantes votam mas não escolhem.
Os meios de informação desinformam.
Os centros de ensino ensinam a ignorar.
Os juízes condenam as vítimas.
Os militares estão em guerra contra seus compatriotas.
Os policiais não combatem os crimes, porque estão ocupados cometendo-os.
As bancarrotas são socializadas, os lucros são privatizados.
O dinheiro é mais livre que as pessoas.
As pessoas estão a serviço das coisas.

Eduardo Galeano in "O livro dos abraços" p. 129


 

 "A televisão mostra o que acontece?
Em nossos países, a televisão mostra o que ela quer que aconteça; e nada acontece se a televisão não mostrar.
A televisão, essa última luz que te salva da solidão e da noite, é a realidade. Porque a vida é um espetáculo: para os que se comportam bem, o sistema promete uma boa poltrona."

Eduardo Galeano in "O livro dos abraços" p. 149


 "Nós comemos emoções importadas como se fossem salsichas em lata, enquanto os jovens filhos da telev.isão, treinados para contemplar a vida em vez de fazê-la, sacodem os ombros."

Eduardo Galeano in "O livro dos abraços" p. 152



 "Pela tela desfilam os eleitos e seus símbolos de poder. O sistema, que edifica a pirâmide social escolhendo pelo avesso, recompensa pouca gente. Eis aqui os premiados: são os usurários de boas unhas e os mercadores de dentes bons, os políticos de nariz crescente e os doutores de costas de borracha."

Eduardo Galeano in "O livro dos abraços" p.155

celebrar a vida mesmo que ela amanheça todos os dias pendurada por um mísero fio



Arte de Rob Gonsalves
se eu pudesse moldar as manhãs
com minhas mãos de poeta
talvez elas tivessem as mesmas cores
mas certamente seriam diferentes

tiraria delas a pressa do ponteiro das horas
e também o cinza dos olhos
daqueles que enfrentam as ruas

se eu pudesse amassar com minhas mãos
o barro das manhãs
eu o moldaria ao meu jeito

certamente elas teriam os mesmos rostos,]
seríamos os mesmos a dividir o mesmo espaço
mas elas seriam diferentes

desarmaria espíritos
eliminaria labirintos
substituiria muros por pontes
e ensinaria a celebrar a vida
mesmo que ela amanheça todos os dias
pendurada por um mísero fio


© Ademir Antonio Bacca
do livro “O grito por dentro das palavras”

Mais importante é a vida



Arte de Arnold Böcklin



"Mais importante que a roupa , é a vida que se veste"

desconheço autoria

Deus,quero colo, explicação, perdão e permanência





Arte de  Yuri Abisalov


Deus,
eu faço parte do teu gado:
esse que confinas em sonho e paixão
e às vezes em terrível liberdade.
Sou, como todos, marcada neste flanco
pelo susto da beleza, pelo terror da perda
e pela funda chaga dessa arte
em que pretendo segurar o mundo.

No fundo,
Deus,
eu faço parte da manada
que corre para o impossível,
vasto povo desencontrado
a quem tanges, ignoras
ou contornas
com teu olhar absorto.

Deus,
eu faço parte do teu gado
estranhamente humano,
marcado para correr amar morrer
querendo colo, explicação, perdão
e permanência.

Lya Luft